Citação

Totalmente Enrolada – O Big Chop

Hoje no Totalmente Enrolada a Taís Gavioli Araújo vem falar como foi que ela superou o Big Chop e o que ela aprendeu com ele… Vem se enrolar também!

11910698_877370969023329_1369529499_n

O que eu aprendi com o Big Chop

Oiii meninas, estou aqui pra contar que passei pela fase dos 3 meses de big chop com sucesso rsrs, posso dizer que foi a fase mais difícil de toda a transição, depois que passa aquela alegria toda de ter se libertado vem o ” E agora? ” . Essa pergunta fica martelando na nossa cabeça, a gente vai na frente do espelho e tenta arrumar de todos os jeitos possíveis porque os compromissos não podem esperar. Muitas de nós acredita que quando cortamos, o cabelo vai enrolar na mesma hora mas se decepciona com o que vê, sim o cabelo fica pior do que a gente achava que ficaria.  Sim, a definição parece que nunca vai acontecer, nos sentimos como umas Ets; sim, choramos de arrependimento daí vem aquela pessoa que não sabe o que diz e fala ” seu cabelo ficou horrível assim, melhor alisar” (pior pergunta ever).

É nesse momento que a gente percebe que não nos arrependemos coisa nenhuma, porque sentimos a vontade de explicar o porquê da nossa escolha, mas só para olhamos e pensamos ” quer saber, não, vale a pena sim, está lindo sim, e vai ficar melhor ainda e você que está falando mal ainda vai elogiar (pode acreditar é assim q acontece)”. 

A primeira saída é uma sensação estranha de uma nova mulher que está se conhecendo , a primeira hidratação a gente coloca a maior fé e não é como esperamos. O dayafter é uma coisa que não é de Deus kkkkkk. Muitas meninas desistem nessa fase, muitas se sentem sozinhas sem o apoio da família, a casos de namorados (se é que podem ser chamados assim, porque amar nóis num ama, como diria Petrisson) que terminaram por não gostar (homens tem medo da mulher confiante) da nova namorada ao invés de apoiar…

Todo esse sofrimento faz parte da nova mulher que nos tornamos depois que cortamos o cabelo, as decepções, as coisas ruins que ouvimos, as opiniões que não pedimos, nada disso importa quando olhamos pro espelho e vemos quem somos realmente que aquele cabelo foi Deus que nos deu, que aquele papo de ” você não fica bem de cabelo crespo” é mentira….

Até que depois de muitooooo cuidado amor e dedicação, os primeiros sinais de definição vão aparecendo, um cacho aqui outro ali, 1000 fotos pra mostrar a nova descoberta, aquela sensação de “uhuuul tá cacheando “ e tome cronograma, até que a gente aprende do que nosso novo cabelo precisa, de que jeito ele fica melhor, e aí é só amor. A vontade de cuidar só aumenta, e as opiniões pouco importam, a alegria toma conta…

Eu vivi e passei pelos 3 meses do temido BC e hoje posso dizer que eu sou muito mais feliz, nenhuma opinião me derruba fácil, me tornei mais forte, mais empoderada,me reconheço no espelho de dentro pra fora… Só amor, cacheadas, só amor
Mulher também é bonita de cabelo curtinho, não deixe que digam ao contrário … Força meninas

11225155_953054791454946_5132829914607821904_n
Quem disse que cacheada não pode ter franja?!

13307229_1030557520371339_2846451279305769029_n

Gostou da história da Thaís?! Vem contar a sua também! Beijos de brilho e definição :* :*

Anúncios
Totalmente Enrolada: Natália Luiza

Totalmente Enrolada: Natália Luiza

Esse mês nós atrasamos um pouco nosso Totalmente Enrolada, mas venho com uma notícia bem legal: teremos dois ainda nesse mês.meio enrolada totalmente enrolada

Esse é um post super especial, pois se trata de uma amiga de verdade, que passou por tudo que eu (Marianne) passei durante minha vidinha meio enrolada. Mesmo frama, mesma história, só que em Estados diferentes… Nos conhecemos no grupo Amigas Onduladas e criamos laços logo de cara, por termos cabelos tão iguais. Pois bem, chega de historinha e vamos ao que interessa: nossa meio enrolada Natylinda.

“Desde muito nova ouvia boatos sobre o meu cabelo: – O cabelo de Naty é liso/ – O cabelo de Naty não é nem liso nem cacheado. E cresci assim, pensando o que é meu cabelo?

Houve momentos da minha vida, ainda criança, com meus 9 anos de idade que enrolava meus cabelos nem liso nem cacheados RS. Fazia como a minha irmã; com eles bem encharcados lambia de creme e amassava bem com a toalha. Pronto, problema resolvido! Meu cabelo nem liso nem cacheado agora é cacheado. Era satisfatório apesar de ficar duro e sem movimento RS. Mas cansava e acabava fazendo como sempre (lavando e deixando secar simplesmente). Anos mais tarde, um pouco maior, já uma pré- adolescente, conheci uma cabeleireira que me apresentou o difusor. Me encantei, me apaixonei, e amei meu cabelo. Aquele volume, aquele estilo selvagem que sempre almejei. Foi aí que comecei a conhecer meu cabelo. Mas ainda temia dizer que era ondulado. Pensava: Não, um cabelo ondulado tem aquelas ondas perfeitas sem fazer nada.totalmente meio enrolada

Eu não sabia o que era finalização, muito menos que existiam tipos diferentes de cabelos ondulados. Tive meus momentos de progressiva, e andei lisa por aí, desperdiçando minhas lindas ondas. Nos espelhamos em quem convivemos. Eu tinha minha mãe-cabelo liso escorrido. E minha irmã – cabelo cacheado tipo 3b. Me espelhar em quem? Hoje sei quem sou e posso dizer com muito orgulho, depois de progressiva e muitas mãos de creme SOU UMA NEM LISA E NEM CACHEADA. E sei o que isso significa. Sei que todas precisam de finalização para ter aquelas ondas perfeitas e não tenho receio nem vergonha de dizer que sou ONDULADA. Um beijo para todas as minhas amigas meio enroladas!”

Me causando recalque com esse cabelo <3
Me causando recalque com esse cabelo ❤

Gostou? Vem você também contar pra gente como descobriu ser uma Ondulada!

Totalmente Enrolada: Hellen Rocha

Totalmente Enrolada: Hellen Rocha

Hoje nosso Tag vem contar a história da Hellen, que com a ajuda de um amigo percebeu que dá sim pra ser feliz e enrolada!

“Bom hoje eu vim contar um pouco sobre a história do meu cabelo para o Blog Meio Enrolada. Escolhi essas fotos pra mostrar um pouco.

meio-enrolada-totalmente-enrolada

Eu era um tipo de criança que não ligava muito pra cabelo mais minha mãe fazia questão de colocar laços enormes em meu cabelo.
Chegou na época da escola e a maioria das garotas da escola tinham cabelos lisos e bonitos. Afinal, elas podiam pentear o cabelo quando quisessem e fazer penteados que eu nunca ousaria. -Como eu queria passar o tempo penteando o meu! – pensava assim.
Pensava que quem não tivesse cabelo liso não seria feliz.
Enquanto crescia, essa questão me atormentava. Por que as pessoas “bonitas” sempre tinham cabelos lisos?!
Os personagens de TV tinham cabelo liso, as pessoas de novelas e desenhos.
Muitos diziam que cabelo cacheado é “ruim” (Me sentia muito ofendida nisso)
Quando tinha uns 9 anos umas amigas fizeram alisamento e eu era louca pra alisar o meu.
Mais um amigo me disse “- Hellen, não acabe com seu cabelo ele é lindo só você não percebe você é linda de cabelo cacheado.”

Passou uns anos e pensei nisso… Prestes de completar 11 anos vi a importância de um cabelo cacheado por causa de uma atriz chamada Taís Araújo ela me impressionou muito com aqueles lindo cachos.

E hoje já não ligo muito pro que os outros dizem sobre mim ou sobre meu cabelo, pois eu sou quem eu sou, não vou mudar por opiniões.
“Eu não tenho cabelo liso e sou feliz”

meio-enrolada-hellen

Totalmente Enrolada: Ingridy Estanislau

Totalmente Enrolada: Ingridy Estanislau

Depois do post sobre aceitação, tivemos muitas meninas falando sobre seus cachos e tal. Então resolvemos fazer esse novo Tag, pra que nossas leitoras possam compartilhar suas histórias cabelísticas.

Estreiando nosso quadro, temos uma diva chamada Ingridy Estanislau, ela vem contar como foi seu processo de aceitação dos cachos…Diva

“Hoje eu fui convida de pelo blog Meio Enrolada a contar a história do meu cabelo!
Então resolvi separar algumas fotos para mostrar para vocês!
Da pra perceber que sempre andei descabelada né! É super engraçado, quando criança não gostava muito de pentear o cabelo RS’ era um sacrifício ter que usar o pente, chorava muito pra não ter que pentear. Só quem tem o cabelo cacheado sabe como é difícil e quando criança não temos muita paciência né! Enquanto minhas amigas tinham cabelos lisos, arrumadinhos ,o meu era cacheado e descabelado kkkkkk , isso me chateava um pouco eu pensavapq todas as minhas amigas tem cabelo liso e o meu é assim ” o meu sonho era ter o cabelo liso escorrido, olhava o cabelo delas e pensava” um dia meu cabelo vai ser assim” eu me achava feia perto delas tudo isso por causa do cabelo, acredita? Pois é o tempo foi passando, os pensamentos vão mudando, eu sempre tive o cabelo cacheado e nunca me aceitava do jeito que eu era.
Então chega a adolescência, é fase difícil RS! chega aquela fase de tirar fotos pra postar na internet, e a intenção era fazer uma foto parecida com os fakes né ! E quando eu olhava os fakes eram todas de cabelos lisos, sabe aquelas meninas DIVAS de olhos claros, com os cabelos lindíssimos , isso me dava uma tristeza , eu pensava “nunca vou ser igual a elas, elas são lindas”. O tempo foi passando e eu vi que isso não mudaria, ou eu me aceitava do jeito que eu sou ou eu optaria pelo alisamento ! Uma menina com 14 anos a mãe nunca deixaria alisar o cabelo que todos gostavam, em fim a mamãe não deixou alisar o cabelo kkkkkk
Então vi que não tinha jeito resolvi aceitar meu cabelo, se Deus me deu um cabelo cacheado, pq não usar ele do jeito que ele é !
A partir dai fui cuidando mais do meu cabelo e deixando ele ter vida própria. Ter cabelo cacheado é como ganhar na loteria, poucos tem essa sorte!
Eu fui premiada pelo Pai do Céu com o cabelo cacheado e agradeço muito a ele rs’ hoje eu sou apaixonada pelo meu cabelo, e difícil pra cuidar, tudo agarra nele, vive alto , mais essa sou eu e esse é o meu cabelo , serei sempre conhecida como a menina dos olhos claros e do cabelo cacheado. Essa é a minha marca e não mudarei nunca !
(Oh cabelo cabelo meu se não fosse meu não seria tão eu …)”Ingridy enrolada