Aceitando Minhas Ondas…

Aceitando Minhas Ondas…

Aceitando as ondasHello gals,

Estou aqui pra falar de aceitação, sim isso mesmo, uma palavrinha que falta muito no nosso vocabulário do dia-a-dia. Para isso vou contar uma historinha baseada em fatos reais (sim, a minha).

– Era uma vez uma menininha muito fofinha, que amava seus cabelos soltos cheios de ondinhas que viravam pequenas molinhas nas pontas. Essa pequena não gostava de pentes, e achava um absurdo desmanchar suas pequenas molinhas, porque viravam um monte de cabelo sem beleza, então ela se escondia atrás de laços e elásticos.

A garotinha cresceu ouvindo todos dizerem que seu cabelo era liso, mas era armado. Cortava os cabelos curtos e armava, penteava e armava, escovava e armava… Como poderia ela ter um cabelo tão teimoso? Era cismado a liso, mas todo pro alto…

A menina, já não era mais satisfeita com seus lindos cabelos. Foi apresentada, então, a algo que revolucionaria para sempre a vida das mulheres insatisfeitas:  CHAPINHA. A essa altura a garota já era uma mocinha, e sabia se arrumar sozinha, escondia todo aquele volume embaixo de uma cabelo selado e chapado. Mas uma coisa ainda a intrigava: porque aquelas ondas insistiam em aparecer mesmo tendo passado horas com aquelas chapas nas mãos?

Todos a achavam linda e com cabelos divinos, mas ela ainda não estava satisfeita. Quando ela cresceu um pouco mais, decidiu que haveria de ter um jeito de domar aqueles cabelos sem ter que ficar horas em frente ao espelho e ligada na tomada. Foi quando uma cabelereira bendita (pra não xingar a moça) ao invés de fazer uma hidratação, como ela havia pedido, fez um relaxamento (imagina, um relaxamento fedorento, em um cabelo que já era quase liso!). A moça então chorou, chorou, chorou, lavou, lavou, lavou, cortou, cortou, cortou, até que não restou mais nada, Uffa, que alívio.

Todavia como toda mulher ela ainda achava que faltava algo. Mesmo depois de passar por essa cabelereira malévola, ela não desistiu de encontrar sua alma cabelística, que a deixaria diva para sempre. Encontrou nesse caminho muitas escovas que se diziam sem formol, encontrou a melhor amiga de todas, que seria sua nova cabelereira. Fez a bendita escova, porém como a cabelereira já havia falado, que como seu cabelo era virgem, não iria alisar de primeira. Graças a Deus!

Esqueci de dizer que essa mocinha era muito curiosa e adorava pesquisar, principalmente quando descobriu a internet. Em uma dessas pesquisas, encontrou divas onduladas e cacheadas, e resolveu que queria ser igual a elas. . Fazendo trabalhos de escola, acabou lendo sobre sulfatos e seus malefícios, e resolveu que sendo uma natureba, seu cabelo iria ficar mais divo do que nunca.

Pois bem, em meio a tantos sulfatos e petrolatos, desistiu da técnica low poo, pela dificuldade em encontrar os produtos certos em sua cidade. Ela sentia que seu cabelo estava hidratado, mas que faltavam os belos cachos da Rayza Nicácio, ou mesmo da diva suprema Beyoncé (sabia de nada que era peruca).

Passeando pelos facebooks e blogs da vida encontrou um grupo super lindo de meninas com os cachos teimosos e pouco definidos como o dela. Foi quando resolveu voltar ao low poo e redescobrir seu verdadeiro cabelo.  Descobriu que embaixo daquele cabelo bagunçado e ressecado, havia não um cabelo liso como sua mãe ainda insiste e muito menos cachos fechadinhos como da Rayza, mas sim umas discretas ondas, que se fundem com pequenas molinhas.

Ela amou. Já não era mais escrava de nenhum padrão: nem liso, nem cacheado/crespo. Se entendeu com os cabelos, e os deixou livre pra ser o que ele quisesse. Aceitou que quem manda é ela. Se os cabelos acordam bonitos, que ótimo, por outro lado se ele amanhece sem ondas ou cachos, está bem também, porque ela é feliz com ela mesma, e não com o que os outros dizem. Ondulada

Moral da história: Quem nasceu Giselle Bündchen, nunca será uma Merida (pelo menos não naturalmente 😉 ).

“A felicidade só exite na aceitação.” Orwell, George

Anúncios

15 comentários sobre “Aceitando Minhas Ondas…

    1. Olá Lana,não fique triste, pois cabelo cresce e daqui a pouquinho vc estará divando! Cabelo curto ta na moda e tbm é lindo! Eu mesma amo meu cabelo curto, não consigo deixar crescer, minha mão coça pra cortar… Haha 😘

      Curtir

  1. Achei ótimo ter encontrado um blog só para as onduladas. Sério! Ou tem blog para quem tem cabelo quimicamente tratado ou para cacheado. Não deixarei mais de vim aqui! E a propósito, qual seu tipo de cabelo (2a, 2b,2c)? :*

    Curtido por 2 pessoas

    1. Que bom que gostou do nosso blog, realmente faltavam representantes das nossas ondas… Então,Rayara, definir meu tipo de cabelo é realmente difícil, porque tenho fios a, b e c, mas eu acho que a maior parte está entre 2ab.

      Curtir

  2. Uauuu… Falou tudo Mari. Já lutei tanto com meu cabelo nas finalizações querendo que ele fosse cacheado… O bichinho ficava ate duro de tanto creme. E amassa e amassa. Mas como vc disse quem nasceu pra ser Gisele Bundchen não conseguiu ser Mérida RS.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s